Monday, December 7, 2015

Como é que consegues controlar algo que nem sequer consegues explicar?

Pois...é f*d*d*.
Parece que todos os fantasmas do passado estão a apareceram em força para assombrar a felicidade de uma reconciliação que era impensável há uns meses atrás.
Por mais radiante que esteja, por mais certo e destinado que isto seja...

Estas merdas revoltam-me!!!

Odeio o facto de alguém se aproximar de novo. Nem que seja com a mais boa das índoles, existe sempre um bichinho cá dentro que acende a luz de alerta vermelho e me faz reviver tudo de mau que se passou e me faz ter medo que volte a acontecer. Tenho medo que, direta ou indiretamente, essas pessoas arruínem tudo o que está a ser construído novamente, aos poucos, com todo o carinho e cuidado, amor e honestidade. Tenho medo que, por algum acaso do destino, se "apercebam" que, se calhar, não valho assim tanto a pena como se pensava e que, afinal de contas, querem recuar uns meses atrás novamente. Tenho medo e fico insegura apenas com o simples facto dessas pessoas voltarem a fazer parte do meu dia a dia, tendo que lidar com elas relativamente ao passado, ao antepassado, ao presente e ao futuro, pois sou demasiado pessimista para pensar que algo de bom poderá sair daqui.
Odeio, acima de tudo, odiar tudo isto! Odeio não conseguir controlar as minhas inseguranças e ficar com ciúmes de uma simples conversa... Odeio que a minha cabeça saiba exatamente o ponto em que me encontro neste momento mas o meu coração tende sempre em atraiçoar-me, fazendo-me pensar sempre nos piores dos cenários. Odeio sentir-me assim, odeio sofrer por antecipação, e odeio não o conseguir evitar! Odeio ficar a remoer nos assuntos, a martirizar-me, a rebaixar-me, a sofrer, por mais que saiba e que me digam que isto é a sério, que estava destinado e que não vai voltar a haver ninguém que volte a quebrar esta ligação.
Citando a minha última publicação: "Os dias só são mais cinzentos se nós quisermos, as pessoas só nos mandam mais para baixo se nós deixarmos, os problemas só não têm mais solução se nós complicarmos e as coisas más só têm mais importância se nós lhes dermos." Isto é tudo muito bonito de se dizer, porém, como é que consigo fazer com que esta situação não me afete se não depende só de mim? Apesar da nossa felicidade depender de nós próprios, como é que consigo controlar o facto de outras pessoas poderem tentar acabar com essa felicidade por via de quem me faz feliz? Pois...não consigo controlar, e isso assusta-me.
No fundo, tenho medo. Tenho total confiança nessa pessoa e sei o quanto ela gosta e acredita em mim e o quanto sou especial para ela, assim como ela o é para mim, mas também sei o quanto os outros conseguem ser maus e manipuladores, principalmente depois de já ter acontecido anteriormente.
Tenho medo de tudo e de todos neste momento, e não o consigo controlar.
Sei que não fomos feitos para controlar tudo, mas não ter esse controlo sobre as situações, sobre os meus próprios atos...perder o controlo sobre mim mesma... Isso assusta-me. Faz-me sentir fraca, desamparada, sem saber para onde me virar e sem saber o que sentir e fazer a seguir.


"I am outside
And I've been waiting for the sun
With my wide eyes
I've seen worlds that don't belong
My mouth is dry with words I cannot verbalize
Tell me why we live like this

Keep me safe inside
Your arms like towers
Tower over me

 'Cause we are broken
What must we do to restore
Our innocence
And all the promise we adored
Give us life again
'Cause we just wanna be whole

Lock the doors
Cause I'd like to capture this voice
That came to me tonight
So everyone will have a choice
And under red lights
I'll show myself it wasn't forged
 (...)

And I'll take the truth at any cost

 (...)"

No comments: